Saúde como direito das populações vulnerabilizadas perpassa pelo fortalecimento do SUS mediante a universalização do acesso, integralidade do cuidado e promoção da equidade. Nesse sentido, faz-se necessário o estabelecimento de um novo pacto social fundamentado na garantia dos direitos humanos e na democracia representativa e participativa, com vistas à redução das desigualdades em saúde.